ACS Agente Comunitario de Saúde Ações. O trabalho do ACS é considerado uma extensão dos serviços de saúde dentro da comunidade, pois o agente faz parte dela e já possui naturalmente um envolvimento pessoal. O ACS está mais próximo dos problemas que afetam a comunidade e é alguém que se destaca pela capacidade de se comunicar com as pessoas e por sua liderança.

A ação do ACS favorece a transformação de situações-problema que afetam a qualidade de vida das famílias, como aquelas associadas ao saneamento básico, destinação do lixo, condições precárias de moradia, situações de exclusão social, desemprego, violência intrafamiliar, drogas lícitas e ilícitas, acidentes entre outros. Seu trabalho tem como principal objetivo contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade.

Para realizar um bom trabalho, o ACS precisa conhecer não só os problemas da comunidade, mas também suas potencialidades para crescer e se desenvolver social e economicamente. Além disso, ele precisa conhecer o território de atuação; ser ativo e ter iniciativa; gostar de aprender coisas novas; observar as pessoas, as coisas e os ambientes e agir com respeito e ética perante a comunidade e os demais profissionais.

Todas as famílias e pessoas do seu território devem ser acompanhadas por meio de visita domiciliar, na qual se desenvolvem ações de educação em saúde. Entretanto, sua atuação não está restrita ao domicílio, ocorrendo também nos diversos espaços comunitários. Sua atuação valoriza questões culturais da comunidade, integrando o saber popular e o conhecimento científico.

O ACS deve estar atento ao que acontece com as famílias de seu território, identificando com elas os fatores socioeconômicos, culturais e ambientais que interferem na saúde.

Ao tomar conhecimento de uma situação-problema, o ACS precisa conversar com a pessoa ou seus familiares e depois encaminhar o problema à unidade de saúde para uma avaliação mais detalhada. Caso a situação-problema seja difícil de ser abordada ou não haja abertura das pessoas para falar sobre o assunto, é preciso relatar a situação para a equipe de saúde.

O ACS orienta ações de prevenção de doenças, promoção à saúde, entre outras estabelecidas pelo planejamento da equipe. Todas as pessoas da comunidade deverão ser acompanhadas, principalmente aquelas em situação de risco.

Podemos dizer que o ACS deve: • identificar áreas e situações de risco individual e coletivo; • encaminhar as pessoas aos serviços de saúde sempre que necessário; • orientar as pessoas de acordo com as instruções da equipe de saúde; • acompanhar a situação de saúde das pessoas para ajudá-las a conseguir bons resultados. Há situações em que será necessária a atuação de outros profissionais da equipe, sendo indicado o encaminhamento para a unidade de saúde. Caso isso não aconteça, deverá ser realizada busca ativa ou visita domiciliar. Situações de risco são aquelas em que uma pessoa ou grupo de pessoas “corre perigo”, isto é, tem maior possibilidade ou chance de adoecer ou até mesmo morrer.

Todas as ações são importantes e a soma delas qualifica o trabalho do ACS. Também é útil compreender a importância da participação popular na construção da saúde, estimulando assim as pessoas da comunidade a participarem das situações importantes para sua saúde e seu meio ambiente. Não se pode pensar em tratar a comunidade como se ela não precisasse aprender nada, só obedecer. Precisamos de uma comunidade educada, atuante e que tenha voz, a fim de que possa exercitar a autoconfiança e construir alianças com outras comunidades ou com pessoas que possam ajudar a promover a saúde e ambientes saudáveis para viver. Dessa forma, as pessoas podem aumentar seu poder de decisão e entender que também são responsáveis por sua saúde e pela saúde de sua comunidade.

Um dos frutos desse trabalho é a valorização do autocuidado, que significa que cada pessoa pode e deve cuidar da sua própria saúde. E o Agente Comunitário de Saúde vai poder fortalecer os autocuidados, orientando-as para isso.

Em seu trabalho, o ACS precisa estar atento a quatro verbos importantes e que refletem a maioria das suas ações: Identificar: esta é uma ação que precisa de muita atenção. O ACS deve estar treinado para ouvir e reconhecer fatores de risco e sinais de alerta de determinadas doenças, a fim de poder encaminhar as pessoas corretamente à unidade de saúde.

Encaminhar: esta é uma ação que precisa de muito jeito e muito cuidado. É um momento muito delicado, porque é o momento em que o ACS faz a ligação entre a comunidade e a unidade de saúde. O profissional precisa estar bastante entrosado com a equipe, a fim de que as pessoas encaminhadas possam ser atendidas com atenção e eficiência e possam ter sua saúde de volta. Muitas vezes, o ACS vai precisar levar a pessoa até a unidade, quando ela não tiver condições de ir sozinha. Em casos como este, encaminhar não significa apenas enviar, mas sim conduzir, ir com a pessoa.

Orientar: esta é uma ação que o ACS realiza diariamente. É o ato de examinar cuidadosamente os diferentes aspectos de um problema para encontrar as melhores soluções. Um trabalho feito em conjunto com as pessoas envolvidas no processo. Assim, após o diagnóstico, o ACS precisa orientar o morador e/ou familiares em relação às recomendações feitas pelos profissionais da unidade de saúde, procurando refletir juntamente com os envolvidos sobre todas as dificuldades que eles enfrentam ou vão enfrentar durante o período em que se encontrarem em tratamento.

Acompanhar: esta é uma ação que significa dar assistência às pessoas da sua comunidade que estão em situação de risco. Como exemplo, podemos citar as mulheres gestantes, puérperas, os recém-nascidos, crianças, adolescentes, idosos, hipertensos, diabéticos e outros. Esse é, também, um momento muito gratificante para o agente de saúde, pois é quando ele pode ver os resultados satisfatórios, tais como acompanhar um pré-natal com o cartão da gestante, ver a criança nascer, acompanhar a mãe durante o resguardo, acompanhar a criança com o cartão da criança e ver a família crescendo saudável.